Futuros enfermeiros passam a falar para o boneco.. que responde.


"ESEnfC inaugura Centro de Simulação único no país, com ambiente o mais próximo possível do hospitalar. Tecnologia de ponta permite aos futuros enfermeiros fazerem melhor em contexto real.

Há alguns anos as colheitas de sangue eram treinadas nos colegas, assim como as punções ou a administração de injectáveis. E, quando assim não era, Manuela, Margarida, Sónia e Verónica, apenas dispunham de almofadas e palhinhas para, como estudantes de Enfermagem, colocarem na prática as técnicas que, mais tarde, iriam fazer parte do dia-a-dia da sua profissão.Uma realidade que parece bem longínqua para quem visita o novíssimo Centro de Simulação de Práticas Clínicas, ontem inaugurado no Pólo A da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC), o primeiro do género em Portugal e um dos poucos na Europa equipados com equipamentos de ponta, totalmente adquiridos nos Estados Unidos da América.Uma unidade do mais moderno que existe em Escolas de Enfermagem, onde, em cinco novos laboratórios, os futuros enfermeiros poderão entrar em contacto com um ambiente quase real – e até mais moderno do que o de alguns hospitais – do que é o dia-a-dia de um enfermeiro em diferentes unidades hospitalares e, portanto, com diferentes exigências.Manuela, Margarida, Sónia e Verónica estão no laboratório dos Cuidados Intensivos, onde treinam para o seu curso de Especialização, e constatam «os sortudos» que são os actuais estudantes de Enfermagem, comparados com os dos seus tempos. Ali está montada uma verdadeira unidade hospitalar, com os equipamentos mais modernos que existem nesta área. Todas as máquinas estão ligadas e o “doente” lá está deitado, pronto a ter exactamente as mesmas reacções que teria um doente real, numa unidade do género.Vantagens? «Estamos muito mais à-vontade na prática de todos os procedimentos necessários e mais seguros, logo há alguns ganhos para a Saúde e para os doentes», explica Verónica, enfermeira há nove anos e consciente de que, qualquer que seja o aluno a praticar naquele ou em qualquer outro laboratório do novo Centro de Simulação «encontra uma situação muito, mas mesmo muito, próximo da realidade» e que, portanto, «saberá muito melhor como reagir quando efectivamente o que se treinou se concretizar»." (...) Fonte; Diário de Coimbra

Os Estágios de Sócrates




"José Sócrates anuncia aumento de estágios profissionais para 40 mil

Numa medida anunciada para combater o desemprego, o primeiro-ministro José Sócrates anunciou um aumento dos estágios profissionais para os 40 mil, este ano. São mais 15 mil relativamente a 2008. O anúncio teve lugar durante uma visita a uma multinacional, na região da grande Lisboa, onde José Sócrates lembrou que há 21 mil pessoas em estágios ou formação profissional e 38 mil candidaturas em espera." Fonte rtp

Com quase meio milhão de desempregados (sem contar com aqueles que estão no desemprego, mas não estão inscritos no centro de emprego), em Portugal, a juntar a muitos milhares com emprego precário, não me parece que estágios sejam a solução para este mal social. Neste país há muitos montes e matas por limpar, tanta gente desempregada, outros em casa a receber o rendimento minimo sem nada para fazer e o país a arder em chamas, enfim é o nosso país... Penso que este governo já deu o pouco que tinha para dar.


Mulheres ao Volante.... cuidado!!!

video

Pensamento do dia


"O problema da Ordem dos Enfermeiros é essencialmente agrícola: excesso de nabos e falta de tomates..." Autor desconhecido


Só mesmo neste país!! Vêm aí os Paramédicos!!

Esta foto pode vir a ficar para a história...

"É “para avançar” a Escola Nacional de Emergência Médica. No entanto, Abílio Gomes é cauteloso.
Por enquanto só os terrenos estão assegurados, no Porto, mas, no próximo ano, o Executivo quer lançar os primeiros cursos. Mal tomou posse, o presidente do INEM defendeu que o país precisa de paramédicos, uma carreira que existe noutros países mas, por cá, a ideia foi chumbada pela Ordem dos Médicos. A escola é para formar técnicos de emergência médica. Só depois se verá se poderiam, por exemplo, trabalhar nos hospitais. Em declarações à Renascença, Abílio Gomes confirma que é um projecto para avançar pela necessidade de existir uma estrutura que tenha capacidade para certificar todos os cursos de emergência médica e dar resposta ao volume das necessidades”. Por enquanto ainda não está definido se a Escola Nacional de Emergência Médica vai ser uma possibilidade para quem termina o 12º ano e qual será a duração dos cursos." Fonte RR

Em Portugal com tantos Enfermeiros no desemprego, não compreendo o porquê da criação desta nova carreira. Os paramédicos existem em países onde faltam recursos humanos na saúde. O estado anda a gastar dinheiro dos contribuintes na formação de Enfermeiros, e vem agora com a criação destes paramédicos, o que se traduz num gasto não apenas monetário mas também de importantes recursos. O mais ridículo de tudo isto se se vier a confirmar, vai ser ver alguns Enfermeiros ansiosos por ganhas uns tostões com umas aulitas que possam dar... Enquanto isso a OE anda mais preocupada com seminários e conferências de ética. Para quando uma especialidade em Enfermageno no pré-hospitalar?

Manual SAV pediátrico


Manual SAV Pediátrico 1: link
Manual SAV Pediátrico 2: link

Sindicato de Enfermeiros avança com pré-aviso de greve

"O Sindicato dos Enfermeiros vai entregar, esta terça-feira, um pré-aviso de greve para os dias 2 e 3 de Abril. Em causa está o «impasse» em relação ao processo negocial do estatuto da carreira.

Os enfermeiros esperaram até hoje por uma contra-resposta por parte do Ministério da Saúde em relação ao estatuto da carreira. (...)

Este processo negocial da carreira não pode arrastar-se por tempo indeterminado, até porque vamos ter processos eleitorais», disse, sublinhando que «o Ministério da Saúde já devia ter concretizado todo o trabalho preparatório deste processo»." Fonte: TSf

(...)"A greve vai ter início às 00:00 de quinta-feira, dia 2 de Abril, e termina no turno da tarde do dia seguinte, que varia consoante os estabelecimentos de saúde, segundo aquele responsável.

A última greve dos enfermeiros, por causa das carreiras, teve lugar há menos de um mês, a 20 de Fevereiro (...)

Além da greve, o SEP pretende que sejam realizadas outras formas de luta pelos enfermeiros, mas só vão ser decididas na próxima quinta-feira na reunião da direcção do sindicato.

"Estão vários formas de luta em cima da mesa: vigílias, concentrações, manifestações", adiantou José Carlos Martins.

Este responsável explicou que os enfermeiros estão empenhados em conseguir uma reestruturação das suas carreiras "até Setembro ou Outubro", razão pela qual não esperam pelo fim das negociações com o governo para encetar formas de luta. (...) Fonte oje

Hoje no telejornal das 13h da TVI, passou uma notícia em que a Ministra da Saúde disse não compreender este pré-aviso de greve...


Manual Urgência/Emergência e Trauma da ARS Centro


Seguem-se os links para o Manual de Urgência/Emergência da ARS Centro, que inclui o Trauma. Brevemente postarei os links para o SAV pediátrico, neonatal.

Manual Emergência 1: link
Manual Emergência 2 (Trauma): link

2 centenas? mais de 1000?









"Perto de duas centenas de enfermeiros concentraram-se frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa, munidos de apitos, para protestar contra a proposta do Governo de reestruturação da carreira

Promovida pelo SEP, aconcentração decorre um dia depois desta estrutura ter reunido com a ministra da Saúde.

Segundo o dirigente sindical José Carlos Martins, no encontro em causa a tutela deu sinais de "alguma aproximação" às reivindicações dos enfermeiros. Ainda assim, os enfermeiros insistiram no protesto de hoje como forma de dizer ao Governo que esperam ver concretizada uma nova proposta com essa aproximação de ideias.

O sindicato espera que esta proposta chegue até à próxima segunda-feira, caso contrário, emitirá na quarta-feira um pré-aviso de dois dias de greve que deverá acontecer na semana entre 30 de Março e 3 de Abril." Fonte: CM

Meus amigos assim não dá... Afinal não há desemprego em Enfermagem.

Pós Graduações

"A Escola Superior de Enfermagem S. Francisco das Misericórdias, tem como Missão, contribuir para um estado óptimo de prestação de Cuidados de Saúde.

É neste contexto que cria o Departamento de Formação Pós-Graduada em Saúde, visando apoiar subsidiariamente o desenvolvimento contínuo de cada Profissional de Saúde.

Destina-se em particular, mas não exclusivamente, à área da enfermagem." É nesse sentido que terão lugar 2 Pós Graduações:

Investigadores portugueses 'reeducam' linfócitos


Descoberta. Investigadores portugueses descobriram como se pode identificar e controlar células imunitárias. O objectivo é conseguir levar os linfócitos T a actuar apenas contra as infecções e para que não promovam doenças auto-imunes como a diabetes

Estudo foi realizado na Faculdade Medicina de Lisboa

Investigadores portugueses descobriram como se pode identificar e controlar células imunitárias (linfócitos T), o que pode abrir novas perspectivas na imunoterapia do cancro e das doenças auto-imunes.

Estas células são responsáveis pela defesa do organismo contra infecções ou pelo desenvolvimento de doenças auto-imunes. A descoberta feita vem com o objectivo de controlar os linfócitos T para actuarem contra infecções e não para promoverem doenças como a diabetes.

O estudo, realizado em Portugal por investigadores da Unidade de Imunologia Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e em colaboração com equipas estrangeiras, foi ontem publicado na edição online da prestigiada revista científica Nature Immunology.

"Descobrimos uma maneira de diferenciar duas populações de linfócitos T que produzem factores com actividades biológicas distintas", disse o responsável pela equipa de investigação, Bruno Silva Santos.

Os linfócitos T são glóbulos brancos produzidos no timo (órgão situado sobre o coração) que nos defendem contra infecções e tumores. Contudo, também podem ter efeitos indesejáveis, sobretudo se atacarem as nossas próprias células, o que origina doenças como a diabetes ou a esclerose múltipla (chamadas doenças auto-imunes). "A relevância do nosso estudo está em termos identificado uma forma nova e definitiva para discernir entre as células T protectoras e as que induzem doenças auto-imunes", esclarece Julie Ribot, primeira autora do estudo e investigadora na Unidade de Imunologia Molecular do IMM.

"Sabemos agora que manipulando a proteína CD27 (proteína que pode manipular as células-mãe comuns presentes no timo) à superfície das células T podemos modificar o seu rumo", completa Bruno Silva-Santos. E acrescenta: "O processo que identificámos funciona como uma "reeducação" das células T dos ratinhos e abre perspectivas na imunoterapia de doenças inflamatórias e autoimunes." Fonte DN


2 pesos 2 medidas!!

Ao invés do que sucede com as negociações com os Sindicatos de Enfermagem (link), as negociações com os sindicatos classe médica vão de vento em poupa.

"Decorreu ontem, 3 de Março de 2009, a esperada reunião para efeitos de negociação das Carreiras Médicas. Nessa reunião, presidida pela Sr.ª Ministra da Saúde, Dr.ª Ana Jorge, foi manifestado pelos dois Sindicatos Médicos (historicamente pela primeira vez juntos e concertados numa mesma mesa negocial) o seu desagrado e discordância pela nova proposta apresentada pelo Ministério da Saúde, proposta essa que consideram inaceitável, tendo sido formalmente entregue o documento que pode consultar em anexo.Face à avaliação política e jurídico-laboral efectuada, o Ministério da Saúde voltou a retirar a sua proposta, comprometendo-se a apresentá-la reformulada e a muito breve prazo." Fonte: SIM

"A ministra da Saúde deixou ontem os líderes dos dois sindicatos médicos apaziguados, ao demonstrar uma "abertura completa" para apresentar uma nova proposta de diploma da revuisão das carreiras e garantir que a avaliação de desempenho será adaptada à especificidade da profissão. (...)
Presente no encontro, como os sindicalistas tinham reclamado, a ministra acabaria por responder afirmativamente às três exigências nucleares dos sindicalistas: comprometeu-se a integrar num único diploma os princípios gerais a que deve obedecer a revisão das carreiras e as questões ligadas à qualificação médica, aceitou que o novo documento não integre matérias que são do âmbito da contratação colectiva (...) e não pôs de parte a hipótese de haver uma contratação colectiva única." Fonte: Público

Ora temos aqui claramente 2 pesos e 2 medidas. Será por a Srª Ministra da Saúde ser Médica? Esta atitude é vergonhosa, os Enfermeiros estão a ser roubados descaradamente… Sendo assim espero que toda a classe de Enfermagem possa dar uma boa resposta a esta Srª .

Vamos à luta!!!


"A reunião desta quinta-feira entre o Ministério da Saúde e o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) "correu mal", pelo que se mantém o protesto marcado para o próximo dia 13. O Ministério continua a não ceder na existência de uma carreira para os enfermeiros, continua a defender a manutenção de uma carreira com duas categorias, como se houvesse dois níveis de enfermeiros e, por último, também não cede nas questões salariais', reclamou José Carlos Martins, dirigente do SEP."

"'Da nossa parte, não há cedências: continuamos a exigir um diploma de carreira, regulamentado não só para os actuais enfermeiros, mas também para futuros, com uma única categoria, e continuamos a exigir um salário ao nível de qualquer licenciado, porque os enfermeiro não são licenciados de segunda categoria', reiterou José Carlos Martins" link Fonte: Correio da Manhã

Não podemos descurar nenhuma possibilidade para que as forças politicas acordem ao que estão a fazer à maior e à mais cumpridora classe de profissionais em Saúde.Apelamos a que publiquem este Post nos vossos blogs, transmitam-no via email e copiem a carta que vos deixamos (ver em baixo) para os seguintes sites, Fax ou email…
Carta para o Presidente da Republica (link - cliquem aqui)
Carta ao Governo (link - cliquem aqui)
Ministra: Ana Jorge Morada : Av. João Crisóstomo, 9, 6º -1049-062 Lisboa
Tel.: 213 305 000 Fax: 213 305 175Correio electrónico: gms@ms.gov.pt. Deste modo, voltamos a mostrar toda a nossa indignação. Várias foram as promessas sucessivas de que Enfermagem veria ser reposto o seu valor a carreira de Licenciados. Já estamos fartos de esperar, por isso deixamos este documento que caso assim entenderem só têm que assinar e enviar por mail ou fax para o Ministério da Saúde.

"Sra. Ministra da Saúde

EU, INDIVIDUALMENTE, TAMBÉM CONTESTO!No passado dia 20 de Fevereiro, durante a Greve Nacional de Enfermeiros, a Sra. Ministra da Saúde anunciou e, finalmente, concretizou o envio, aos Sindicatos, da proposta reformulada, cujo compromisso tinha assumido no dia 29 de Dezembro de 2008.Na proposta constato, e no que diz respeito a estes 4 princípios:

1 - UMA CARREIRA PARA TODOS OS ENFERMEIROS – face a esta reivindicação, justa, o Ministério assume que a mesma apenas está dependente de uma decisão politica, razão pela qual propõe que os actuais enfermeiros, a contrato individual de trabalho por tempo indeterminado possam optar pelo que vier a ficar regulamentado neste decreto-lei. Contudo, isso não é suficiente! Nós, enfermeiros, não aceitaremos a manutenção de qualquer tipo de discriminação e, na realidade, o que a Sra. Ministra está a propor é o seu aprofundamento, porque, no âmbito da sua opção, estão vedadas todas as restantes regras aplicáveis aos colegas com contrato de trabalho em funções públicas e, inadmissivelmente, nada disto é possível para os futuros enfermeiros.

2 - UMA CARREIRA COM UMA ÚNICA CATEGORIA – a Sra. Ministra ao manter uma proposta com duas categorias, insuficientemente justificada com supostos conteúdos funcionais diferentes, contrários ao que hoje está legalmente consagrado no REPE, no Decreto de Lei que transforma a formação dos enfermeiros em Licenciatura e no Código Deontológico revela apenas ter um objectivo: IMPEDIR O DESENVOLVIMENTO DOS ENFERMEIROS NO LEQUE SALARIAL QUE O ACTUAL GOVERNO CONSIDEROU SER O MAIS JUSTO PARA REMUNERAR OS LICENCIADOS.

3 - DESCATEGORIZAÇÃO DOS ACTUAIS ENFERMEIROS DA ÁREA DA GESTÃO – se a anterior proposta já era por nós considerada uma vergonha e um “atentado” à profissão, para esta só encontramos adjectivos num léxico pouco propício. Aos enfermeiros que estão, hoje, nas categorias de gestão da actual carreira de enfermagem, independentemente do que se tenha de reflectir sobre as práticas profissionais, foi exigido sempre concursos de acesso às categorias superiores; no acesso à categoria de enfermeiro graduado até 1988 para além do concurso era exigido um exame escrito de estudo obrigatório de 12 temas dos quais era escolhido 1 pelo júri. Para acesso à categoria de Enfermeiro Especialista era exigido, até 1991, nota positiva no exame de acesso à especialidade (a partir desta data passou a ser exigido a avaliação curricular), frequência da especialidade e posterior concurso de acesso à categoria, primeiro com exame escrito e depois com apreciação curricular. Para acesso à categoria de Enfermeiro Chefe e Supervisor era necessário a frequência dos cursos de Administração, concurso, apreciação e discussão curricular e, em muitos casos, avaliação do perfil psicológico. É DE TODO ESTE PERCURSO, INTRINSECAMENTE LIGADO AO DESENVOLVIMENTO DA PROFISSÃO que não é de todo admissível esta proposta da Sra. Ministra.

4 - GRELHA SALARIAL – é inadmissível que a Sra. Ministra esteja a propor aos enfermeiros uma remuneração de ingresso na actividade abaixo daquela que o Governo, por lei, consagrou para os restantes Licenciados da Administração Pública. É intolerável que a Sra. Ministra apresente uma proposta que coloque o topo da carreira dos enfermeiros abaixo do topo da actual carreira de técnico superior. É insustentável que a Sra. Ministra queira perpetuar a discriminação do reconhecimento do valor social do trabalho dos enfermeiros e, mais grave, que inadmissivelmente diminua, na proposta que se pretende para e com futuro, as expectativas de desenvolvimento salarial quando a comparamos com a actual Carreira de Enfermagem.Porque o que está em causa é a Profissão de Enfermagem e o seu Desenvolvimento;Porque o que está em causa é o reconhecimento do grau académico e do valor social da profissão;Porque não posso continuar a aceitar qualquer tipo de discriminação para e entre os enfermeiros, quer já estejam no exercício ou para os futuros,CONTESTO E REPUDIO VEEMENTEMENTE A PROPOSTA QUE NOS ENVIOU!

…………………(assinatura)………………….……………"

Manual do INEM



Manual de ALS: http://www.megaupload.com/?d=4MYFTZSY
Manual Clinical procedement http://www.megaupload.com/?d=DCZ6EY34


Nota: Os respectivos manuais, estão alojados em servidores, (megaupload) pelo que o Neuro_Enfermeiro apenas fornece os links, não assumindo responsabilidades para o uso dado ao mesmos.


Tabela Remuneratória para os Enfermeiros - Novas Lutas

"Depois da publicação integral da proposta do Ministério da Saúde para a nova Carreira de Enfermagem, choveram e-mails a solicitar o "famoso" Anexo I - onde constam as remunerações insultuosamente propostas.
Notem que a nosso início e topo remunerativo é inferior ao praticado entre os professores (por ex., no novo Estatuto da Carreira Docente, o primeiro grau de professor (antigo 4º escalão) ronda os 1520 euros e os contratados profissionalizados licenciados com 1373 euros!), a progressão é muito lenta (relação "tempo de serviço"/"remuneração" é inferior aos restantes licenciados), muito poucos Enfermeiros atingirão o topo (topo esse (nível 50), que é quase a entrada salarial (nível 47!) da tabela médica!), não existe regime de exclusividade (a oferta de mercado assim o ditou...) e não é reconhecido o desgaste/especificidade/penosidade da profissão.
A transição é feita de 5 em 5 anos (sim, só após 15 anos de serviço estaremos ao nível do primeiro grau de professor!) se houver cabimento orçamental!!!! (...)
Aqui fica o aguardado anexo I:


ANEXO II - Reposicionamento na nova Grelha Remuneratória
(façam corresponder a vossa actual categoria e índice remuneratório ao nível correspondente para obter a reposição, e consequentemente a remuneração proposta).


clique na imagem para ampliar

Fonte: Doutor Enfermeiro


Simplificando:



O que fazer para tentar alterar esta proposta vergonhosa?


- Greve de Zelo, greve por tempo indeterminado, pedido de demissão em bloco dos Enfermeiros, Vigilias e manifestações por turnos em frente ao ministério da saúde ou Assembleia da República... Aceitam-se sugestões.